Expertise economy e o desenvolvimento de lideranças

Segunda, 23 de Agosto de 2021  .  Leitura: 5 minutos

A ocorrência de processos de mudança é uma das poucas certezas que temos na vida. E a pandemia acelerou as transformações no mercado corporativo de forma abrupta. Os processos de mudança foram intensificados. Já se falava da importância das soft skills no desenvolvimento de carreiras. Hoje, contudo, essas habilidades comportamentais passaram a ter ainda mais destaque e são essenciais em um mundo tão sensibilizado.

O livro The Expertise Economy - How the Smartest Companies Use Learning to Engage, Compete, and Succeed, de Kelly Palmer e David Blake, que podemos traduzir “a economia da expertise - como as empresas mais inteligentes usam o aprendizado para envolver, competir e ter sucesso”, traz esse conceito e reflexões importantes.

Para os autores, manter as habilidades das pessoas em sincronia com as rápidas mudanças do mercado é o maior desafio do nosso tempo. Para que as empresas e seus funcionários tenham sucesso, eles precisam se concentrar na construção de habilidades para o futuro. As empresas com visão de futuro, grandes ou pequenas, estão aprimorando e requalificando seus funcionários e, em última análise, criando sua maior vantagem competitiva.

Nesse processo, é importante que os líderes, em parceria com o RH, identifiquem as habilidades pessoais dos colaboradores para que eles recebam treinamentos mais adequados de acordo com a sua posição e sua personalidade. Com essa qualificação bem aproveitada, a empresa cria valores competitivos e se destaca no mercado.

Principais soft skills

Algumas habilidades ganharam força. Na pandemia, todos nós tivemos que nos reinventar em maior ou menor grau. Por isso, inovação e criatividade são apontadas como algumas das principais qualidades comportamentais.

Outra característica que já era tendência e ganhou força foi a influência, que é a capacidade de convencer ou influenciar as pessoas ao seu redor da importância de tomar uma determinada ação. No mundo onde não podemos mais ter tantos encontros presenciais com líderes, colegas de trabalho ou clientes, saber convencer à distância passou a ser um dom. Fazer uma boa apresentação e usar as palavras certas podem fazer toda a diferença, por isso a comunicação de alto impacto é muito relevante.

Há outros inúmeros traços de personalidades importantes, mas vou destacar mais um: a agilidade emocional. Conseguir se moldar às mudanças, reagindo com agilidade às adversidades num ambiente volátil, é, com certeza, uma das habilidades mais valorizadas atualmente. Essa agilidade se reflete na cultura da empresa, fazendo com que algumas empresas consigam se destacar e serem mais competitivas, mesmo em tempos de crise.

O papel do líder

Segundo pesquisa Panorama Brasil da ABTD 2020/2021 (Associação Nacional de Treinamento e Desenvolvimento), 55% do orçamento anual de T&D tem sido destinado aos líderes, isso significa um aumento de 10 pontos percentuais se comparado com o ano anterior.

O líder é quem engaja o time de fato, nele está uma responsabilidade grande que faz total diferença no comportamento dos colaboradores. Por isso, as empresas estão se movimentando cada vez mais para programas de capacitação de liderança.

Para o desenvolvimento de líderes, além de algumas competências já mencionadas aqui, destaco necessidades de estarem atentos às aptidões do futuro, como o mindset digital e ágil, que possibilita uma velocidade maior na implementação de projetos cada vez mais digitais nas empresas. Outro destaque é a diversidade, que começa na liderança, um tema que tem ganhado cada vez mais espaço nas organizações e deve ser incluído no seu programa de desenvolvimento de líderes.

Percebemos nesse contexto de crise que é essencial que os líderes estejam mais preparados para todas mudanças cada vez mais rápidas que o mercado corporativo está vivenciando. Aqui no Bureau Veritas oferecemos programas de capacitação pensando no desenvolvimento das competências do futuro.

Sabemos de todos os problemas deixados pela pandemia, mas em momentos de crise é que podemos nos fortalecer e nos diferenciar. Equipes e empresas que se estiverem preparadas, sairão na frente.

Palavras-chave: economia, liderança